sábado, 28 de fevereiro de 2015

Quem é você?

Você já parou pra pensar em quem você é?
Nós somos seres moldados pela educação dos nossos pais, pelos aprendizados que ganhamos através das pessoas que convivemos, e dos nossos atos, mas somos principalmente seres humanos que acumulam experiências ao longo da vida. Mas ainda assim, você conhece a sua verdadeira essência, a alma que habita dentro da sua casca?

Auto conhecimento é um processo que nunca acaba, então não tem como dizer que você será para sempre aquilo que você é hoje. Talvez um dos maiores receios do ser humano seja o medo da mudança. Se auto conhecer é aprender a lidar com as mudanças internas e externas, e esse medo afirma o receio de trocar as cascas.
Também existe o medo de descobrir a sua própria sombra, olhar dentro de si e enxergar um monstro horrível, afinal de contas, quem gostaria de ser um monstro? Acho que ninguém, né?! Mas existem momentos em que é preciso bater de frente com ele para passar a se enxergar com mais naturalidade. Praticar a auto aceitação não é mudar quem você é, mas trabalhar os seus monstros sem ter medo de ser você mesmo é um processo libertador.
Nós somos uma cebola: a casca marrom, várias camadas e fedidos no meio. E se não criarmos coragem de enfrentar o lado podre da própria essência, jamais saberemos como nos entender e se aceitar sem culpa.

Mas voltando a essência, quem é você?
Lembre-se: você nem sempre é aquilo que você acha que é e nem aquilo que você quer ser. Então, quem você realmente é HOJE?

Freud implantou o conceito do ID, Ego e Super-Ego.

ID: é a sua identidade primitiva, o seu inconsciente profundo.
Ego: é a razão, a consciência da 'realidade', também é o responsável por "domar" o ID e controlar os seus instintos.
Super-Ego: é a moral e os valores sociais aprendidos através dos pais.

Essa é a base da nossa personalidade, e entrar em contato com o ID é um enorme trabalho interno. Faz jus a frase: "isso é coisa da sua cabeça!"- pode ter certeza que é mesmo!

Nós temos a realidade que aprendemos com os nossos pais (Super Ego), a realidade do mundo com a qual temos que nos adaptar para viver em sociedade que nem sempre são iguais aos conceitos aprendidos em casa (Ego), e o verdadeiro instinto que nos comanda de forma inconsciente em busca dos nossos desejos (ID).
Toda vez que penso nisso é como montar um quebra cabeça sobre 'quem afinal de contas sou eu?'. Praticamente um "Onde está Wally?" dentro de mim.
Todo processo de aprendizado, mudança de hábitos e auto descobertas, nos coloca de frente para quem realmente somos. É se auto desconstruir para construir alguém melhor, sabendo que esse "novo"alguém um dia irá se reconstruir de outra forma também.

As vezes acho que viver é algo tão pesado que quando estou cansada o meu corpo pensa o dia todo em voltar para a cama, fechar os olhos e dormir (é, meu ID é bem preguiçoso...rs) mas enquanto esse pensamento fica o dia todo na minha cabeça, eu estou na frente do computador trabalhando (porquê as contas não se pagam sozinhas, benhê!).

Buscar se auto conhecer é parar de fechar os olhos para os erros, é ser humilde e aceitar que você é só mais um ser humano em evolução que tem muito para aprender, é deixar de lado o orgulho bobo e se entregar aos novos aprendizados, parar de focar em ter razão e ser mais feliz.
Tudo bem você ter um monstro dentro de você, eu também tenho! A questão é COMO você lida com ele e se ele controla você ou se vocês tem um acordo amigável de convivência.

Já dizia o poeta: "a dor e a delícia de ser o que é..."
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário: